Beto Braga

Empresário da área de tecnologia e inovação


Revisionismo Tupiniquim

Por: Beto Braga
07/01/2020 às 10:29
Beto Braga

Ufa!!! Acabou 2019... 

Como em todos os anos, tivemos coisas boas e coisas ruins... 

É assim a vida.  

Na vitória e na derrota temos o lado bom e o ruim.  

No nosso trabalho, nas nossas relações e até quando se trata de politica, temos coisas boas e coisas ruins. 

Vejam, a internet e as redes sociais tem permitido a propagação de um comportamento que foi comum na antiga URSS, o revisionismo histórico. 

Naquele país, nas décadas pré Perestroika, a história, os heróis, mudavam conforme o momento e o interesse.  

Quando visitei aquele pais, em 1997, o mausoléu do Lenin ainda estava na praça Vermelha e era comum ver manifestantes pedindo a volta do comunismo e da União Sovietica. 

O revisionismo tupiniquim quer fazer crer que a Ditadura Militar, os anos de ferro, foram um mar de rosas, que não havia corrupção e que a segurança era melhor e que o AI-5 não foi nada importante. É um erro grosseiro e um desconhecimento absoluto de fatos históricos, talvez fruto de ignorância dos fatos, de uma traição da nossa memória que nos faz crer que o passado era melhor ou da falta de investimento em educação. 

Mas, como tudo na vida, houveram coisas positivas nesse período.  

A infraestrutura que sustenta boa parte do desenvolvimento nacional foi construída nesse período.  

Mas o custo foi, entre outros, a sedimentação da relação promíscua entre Estado e empreiteiras, que hoje está sendo desnudado e exposto ao povo. 

Fora isso tivemos o milagre brasileiro, inflação de 30% ao mês, explosão da dívida externa, FMI, coroa brastel, Delfim, polonetas, prefeitos, governadores e senadores biônicos, guerrilha no Araguaia, Maluf, Sarney, Quércia, Collor, Renan, Marin, e boa parte dos políticos da atualidade tem suas raízes na ditadura. 

Quem tem mais de 50 anos, como eu, se lembrara do posto do japonês, no entroncamento da Washington Luis com a rodovia que vai para Taquaritinga. Nos anos 70 e 80 com a proibição da venda de combustíveis nos finais de semana, esse posto provia viajantes de combustível no mercado negro. Sim, tínhamos racionamento de combustíveis. 

Qualquer um que consiga entender "causa e efeito" percebe que os efeitos danosos desse período nebuloso do Brasil refletem até hoje na nossa realidade. E o resultado não é bom. 

No Brasil existe uma busca pela solução mágica (a la Fernando Collor), um Salvador da pátria, carente que somos de estadistas e políticos altruístas. 

Portanto defender salvadores da pátria, corruptos de qualquer suposta ideologia, neoditadores, pseudomilitares e discursos reacionários e vazios, é retrocesso e estupidez. 

Não há mágica... 

Para finalizar, desejo a todos: 

Pensamento crítico, boa interpretação de texto e, se não for pedir demais, checar as informação antes de compartilhar. 

Feliz 2020 






Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!