Foto por: Ricardo Stuckert/Rede Brasil Atual
Apoiadores acompanham saída de Lula da sede da PF de Curitiba

Lula livre acirra polarização, com festa petista e protesto da direita em Rio Preto

Por: Maria Elena Covre, Fabrício Carareto e Lucas Israel
08/11/2019 às 20:59
Bastidores

Petistas e simpatizantes do ex-presidente comemoram e movimentos de direita chamam protesto para este sábado (9)

Lula livre e luto  
A soltura do ex-presidente Lula (PT) na tarde desta sexta-feira (8) reacendeu por aqui a tensa polarização das eleições do ano passado, num microcósmico exemplo do arrefecimento de ânimos que vem por aí em esfera nacional. Se alguém tinha alguma dúvida de que a guerra entre esquerda e direita esquentaria com Lula nas ruas, já não tem mais. 

Festa e protesto 
Enquanto petistas alugavam uma van para levar militantes do partido de Rio Preto para a festa de recepção a Lula em São Bernardo do Campo - e integrantes de partidos de esquerda comemoravam com Lula Livre nas redes sociais -, militantes de movimentos de direita como o MCB, MBL e VPR desencadeavam uma frenética convocação pelos grupos de Whatsapp para um protesto na manhã deste sábado (9), em frente ao prédio da prefeitura, na avenida Alberto Andaló, às 10h.

Uniu os inimigos 
O discurso de Lula ao deixar a cela da PF a uma pequena multidão que o aguardava, no qual ele disparou críticas ao governo federal, citando o presidente Jair Bolsonaro (PSL), ao "lado podre da Polícia Federal”, ao ex-juiz e atual ministro, Sérgio Moro, e a parte do Ministério Público, até alguns petistas mais estratégicos viram aí uma provocação a reações imediatas. Parte do partido já avaliava que Lula solto reaglutinaria os movimentos que apoiaram Bolsonaro e andavam se estranhando entre eles, exemplo do MBL e VPR. 

"Lula não morreu”
A deputada estadual Beth Sahão, de Catanduva, disse que era impossível não expor a satisfação que sentia. "Estamos comemorando a democracia, a justiça, a Constituição Federal e a liberdade.”  Para a petista, só quem não conhece Lula para achar que ele não mudaria o cenário político ao deixar a cadeia. "Lula vai fazer contraposição a este governo. Se não tivesse essa liderança, não teria ficado um ano e sete meses preso mantendo vivo o Lula Livre nas redes sociais, em shows, nas ruas. Teria sido esquecido, mas não foi. Muitos achavam que a prisão era a morte de Lula e do PT. Ele mostrou a todos que Lula não morreu e o PT também não”, afirmou. 

Protagonismo
Segundo Beth, Lula vai para o protagonismo, "porque ninguém tem a força dele para se contrapor a este governo”. Otimista, ela diz não ver possibilidade de o Congresso Nacional aprovar em curto prazo uma mudança na Constituição Federal no sentido de alterar o entendimento sobre prisão em segunda instância. 

Na trincheira oposta 
Do lado oposto da trincheira, o deputado federal Geninho Zuliani (Democratas), de Olímpia, afirma que não questiona a decisão do STF e que, segundo ele, cabe ao Congresso Nacional, agora, votar a PEC da prisão em segunda instância. 

"Insegurança política” 
Geninho acredita que os ânimos vão, sim, se acirrar muito com o ex-presidente livre para o embate político nas ruas. "Lula foi presidente por duas vezes e o PT na última eleição teve 47 milhões de votos. Não tenho dúvidas que ele ainda exerce liderança no País e dependendo do comportamento dele e do PT, nos próximos meses, pode ser muito prejudicial ao Brasil, principalmente trazendo insegurança política para investidores externos.”

Só no sapatinho 
Aliado dos petistas no passado, tendo inclusive sido ministro dos Portos na gestão Dilma Rousseff (PT), o prefeito Edinho Araújo (MDB), que há muito tenta se descolar do petismo, preferiu uma leitura mais rasa do cenário. "Decisão da Justiça deve ser cumprida e não se discute. O Brasil vive um momento de paz e vai continuar assim. Vivemos em plena democracia”, afirmou o emedebista. 

Uma vez companheiro...
Hoje no Psol, o ex-deputado estadual João Paulo Rillo, que forjou toda sua vida política no PT de Lula, comemorou a soltura do ex-presidente.  "Espero que, com essa decisão do STF,  e o simbolismo em libertar o maior líder político popular do Brasil, o País se encontre com a constituição e a democracia”, declarou. 

...sempre companheiro 
Para Carlos Henrique, presidente do PT de Rio Preto, "a decisão do STF mostra que a prisão de Lula foi inconstitucional e serviu para impedir sua candidatura a presidente.”

Reação nas ruas e nas redes
A advogada Tuca Vetorasso, futura presidente do MCB, movimento de direita que nasceu em Rio Preto tendo como uma de suas principais referências o empresário Olavo Tarraf, resume a indignação que tomou conta dos opositores do ex-presidente. "Não podemos aceitar que um criminoso leve anos para ser preso, por termos uma Justiça tão lenta. Quem em sã consciência pode aceitar que, uma vez comprovada a culpa em 2ª instância por quatro julgadores, o criminoso continue solto? Nas instâncias superiores não se analisam provas”, afirmou. 

Sobreviveu ao tempo?
Conservador assumido, figura presente nos atos de impeachment de Dilma e na campanha de Jair Bolsonaro no ano passado, o médio Paulo Bassan, recém-destituído do comando do PSL de Rio Preto, mantém-se fiel ao seu estilo cauteloso nas falas ao ser questionado sobre o efeito de Lula nas ruas. "Ele era um líder carismático. Vamos ver o que o tempo fez com ele. Esperar.”

Enquanto isso, os tucanos...
E se o país, no plano midiático, segue hipnotizado no desenrolar da soltura de Lula e na reação de seus opositores, o PSDB de Rio Preto tratou de cuidar da própria vida nesta agitada sexta-feira (8). Marco Vinholi, secretário de Desenvolvimento Regional e porta-voz dos interesses partidários do governador João Dória, esteve na cidade para conversar com o presidente do diretório municipal da legenda, Manoel Gonçalves, e com o coordenador regional do partido, Coca Prado. 

Coadjuvante, não
O vereador Renato Pupo (PSD) foi uma das pautas que reuniram as lideranças tucanas. Pupo está cada vez mais perto do partido e quer garantias. Vinholi é um dos principais fiadores de seu ingresso na legenda. Segundo o DLNews apurou, com ou sem Pupo, uma coisa ficou bem clara: o PSDB de Rio Preto deverá finalmente sair do papel de coadjuvante nas eleições municipais do ano que vem, com nome próprio na disputa. 

Novos filiados 
Os tucanos, que também discutiram a reestruturação da legenda na região, definiram ainda um grande evento para dezembro, segundo Manoel Gonçalves. "Vamos apresentar novas filiações e mostrar um quadro mais consolidado para 2020”, afirmou ele. 

Alta
O ex-prefeito de Ilha Solteira, Edson Gomes, recebeu alta hospitalar nesta sexta-feira (8). Ele estava internado desde o dia 13 de outubro no Hospital de Base com quadro de pneumonia que se agravou para sepse. No entanto, o político, que atuava no programa mais médicos no Mato Grosso do Sul, não voltará, por enquanto, para o trabalho e nem para Ilha Solteira. Permanecerá na casa de parentes em Rio Preto, sob cuidados especiais.

Só ficou a Constroeste
A empresa J.A. Tineli Marques foi declarada inabilitada para seguir no processo de licitação que vai definir a empresa responsável pela 2ª fase da obra de revitalização do Calçadão. A Constroeste também foi alvo de recurso, mas a comissão de licitações decidiu pela continuidade da empresa no processo. A J.A. Tineli Marques foi a responsável pela reforma da Câmara Municipal.

Estica e puxa.
O prefeito Edinho Araújo (MDB) esteve na abertura da Construweek, no shopping Plaza Avenida, na manhã desta sexta (8) e literalmente teve que se desdobrar. Empresários fizeram fila por uma uma selfie ou oportunidade de puxar o prefeito para seus estandes. 

Cadê você?
Uma ausência sentida na inauguração da Construweek foi a do secretário de Desenvolvimento Econômico, Jorginho de Souza. Com a cúpula da Acirp e a nata dos empresários do setor imobiliário no local, Liszt Abdalla, antecessor de Jorginho, marcou presença e ficou coladinho ao prefeito.

Põe no papel
Como fez no evento com empresários no dia anterior, em que se discutiu perspectivas para 2020, o prefeito desfilou obras que entregou no setor viário e prometeu um novo desenho da cidade para o ano que vem, voltando à tecla do sempre prometido desvio da malha ferroviária. Mas, de novo, esqueceu obras gigantes no setor herdadas do governo passado, como o terminal rodoviário, que ele terá de inaugurar muito a contragosto neste mês e os viadutos da região norte. 

Sortido 
Ainda sobre Edinho, ele abona hoje, durante ato solene do MDB na Câmara, um pacote de novas filiações à legenda. Entre os novos correligionários do prefeito estão: Suzana Quintana, ex-presidente da OAB; o ex-vereador Márcio Larranhaga; o médico Luiz Fernando Borges; Maurício Scarpassa; a arquiteta Maria Augusta e Renato Milani. O partido ainda joga boa parte de suas fichas na vereadora Cláudia de Giuli, que não assina ficha desta vez, mas já é nome dado como certo por muitos. "Estamos investindo em nomes femininos fortes”, afirmou o presidente da legenda, Paulo Nimer. 






Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!