Foto por: Divulgação
Aeronave apreendida no aeroporto de Rio Preto

Aviões em Rio Preto eram usados para transportar drogas e 3 empresários são presos; veja vídeo de ação da PF

Por: Lucas Israel e Karol Granchi
04/12/2019 às 10:30
Cidades

O empresário Rubens de Almeida Salles Netto, dono da empresa de transportes à qual pertence o avião, foi preso. Foram presos ainda, Beatriz Gatti Simões, mulher de Rubens, e o irmão dele, Carlos Salles.

Policiais Federais cumpriram mandados de busca e apreensão na manhã desta quarta-feira (4) no aeroporto de Rio Preto. Agentes chegaram ao local por volta das 5h. Durante mais de três horas, quatro policiais federais permaneceram no escritório do hangar.

Do local, eles saíram com vários documentos, que foram levados para sede da Polícia Federal de Rio Preto. A suspeita é que as aeronaves eram utilizadas para o tráfico internacional de drogas.

Três empresários foram presos em Rio Preto, sendo dois irmãos e a mulher de um deles. Os suspeitos foram detidos em um condomínio na zona sul da cidade, o Village Santa Helena. 

A empresa de transporte dona das aeronaves está no nome do empresário Rubens de Almeida Salles Netto. Ele foi preso juntamente com a mulher, Beatriz Gatti Simões. Foi preso ainda pela PF,  Carlos Almeida Salles, irmão de Rubens, que é apontado como o líder do esquema.  

Ao todo, foram cumpridos 8 mandados de busca e apreensão e 3 mandados de prisão. Foram apreendidas 2 aeronaves, automóveis, documentos pessoais, notebooks e aparelhos eletrônicos que serão enviados para São Paulo. As aeronaves vão ficar apreendidas no aeroporto.

Alguns dos mandados foram cumpridos em locais de pessoas que teriam ligação com a quadrilha. De acordo com a PF, algumas das pessoas seriam pilotos. 

Voo Baixo
A Operação Voo Baixo cumpriu 13 mandados de prisão temporária e 33 de busca e apreensão em vários estados do Brasil.

O foco da operação é um grupo criminoso comandado por um suposto empresário do interior de São Paulo que comprava e transportava cocaína de traficantes bolivianos, recebendo a droga no Mato Grosso do Sul e distribuindo pelo estado de São Paulo.

A ação da polícia começou em maio de 2018 e resultou em apreensões que totalizam, aproximadamente, 2.6 toneladas de cocaína e na prisão de outras 11 pessoas. Além dos mandados judiciais, foram realizadas apreensões de 15 aeronaves, bem como solicitado o sequestro de imóveis, dentre eles 3 fazendas. 

Os 46 mandados judiciais foram cumpridos pela PF nas cidades Araçatuba/SP (4), Campinas/SP (2), Dourado/SP (1), Guararapes/SP (1), Jaú/SP (1), Pereira Barreto/SP (3), Ribeirão Preto/SP (1), Rio Preto/SP (8), São Paulo/SP (1), Vargem Grande Paulista/SP (1), Cassilândia/MS (2), Alcinópolis (1), Coxim/MS (3) e Três Lagoas/MS (2), Presidente Getúlio/SC (1) e Eunápolis/BA (1), em 4 diferentes Estados (SP, MS, BA e SC).  

Os investigados serão indiciados pela prática de crimes de tráfico de drogas (artigo 33, parágrafo 1º, inciso I, da Lei 11.343/06) e associação para o tráfico de drogas (artigo 35 da mesma lei), com penas de 05 a 15 anos e multa e 03 a 10 anos e multa, respectivamente.


Foto por: Divulgação
Outra aeronave apreendida







Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!