Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.



Foto por: Divulgação
Além de julho, números de agosto também são assustadores

No pico da pandemia, Covid-19 elevou 60% total de mortes por todas as causas em Rio Preto

Por: Maria Elena Covre, Fabrício Carareto e Heitor Mazzoco
12/09/2020 às 09:32
Bastidores

O recorde ocorreu em julho, quando 486 rio-pretenses perderam sua vida. A média entre 2017 e 2019, no mesmo mês, foi de 303


Mortes em alta
O secretário de Saúde de Rio Preto, Aldenis Borim, apresentou na live desta sexta (11) quadro alarmante mostrando que, em 2020, o número de mortes em Rio Preto chegou a ser até 60% superior à média registrada entre 2017 e 2019. O recorde ocorreu em julho, quando 486 rio-pretenses perderam sua vida. A média entre 2017 e 2019, no mesmo mês, foi de 303. 

Inteligência em baixa
"E qual é a grande mudança que ocorreu nos últimos anos? Chama-se Covid”, afirmou Borim, espinafrando os negacionistas de plantão que consideram a pandemia um exagero. "Eles (negacionistas) saem dizendo por aí ‘tão pondo Covid em tudo, todo mundo que morre agora é Covid’. Tem de falar a verdade, e a verdade está no gráfico”, afirmou o secretário. 

Só querer entender
Além do mês de julho, o mais mortal da Covid em Rio Preto, agosto também apresentou números assustadores: em média, aumento de 50% na mortalidade dos rio-pretenses. "As doenças coronárias estão ocorrendo, o diabetes continua ocorrendo, os acidentes continuam ocorrendo e nós tivemos um aumento na mortalidade. Parem de negar isso, está morrendo mais gente. Ninguém inventa doença”, disse Borim, que literalmente teve de desenhar um gráfico para ver se os negacionistas começam a entender alguma coisa.

Leia mais coluna Bastidores no link: https://dlnews.com.br/noticias?id=41237/com-9-partidos-confirmados-edinho-reinara-no-horario-gratuito-de-televisao-e-radio-







Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!