Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.



Foto por: Divulgação
Dado, à direita, empurrou Votuporanga para fase amarela do Plano SP

Critérios para colocar Votuporanga na fase amarela foram técnicos, diz prefeito João Dado

Por: Heitor Mazzoco
26/08/2020 às 13:53
Eleições 2020

Segundo o documento, entre os critérios técnicos, está o monitoramento de idosos, gestantes e pessoas com doenças crônicas. Dado não deu detalhes do programa, mas afirmou ser "pioneiro" em todo país


Em documento enviado à Justiça nesta quarta-feira (26), o prefeito de Votuporanga, na região de Rio Preto, João Dado (PSD), afirmou que os critérios usados pela prefeitura para colocar a cidade na fase amarela do Plano São Paulo de flexibilização foram técnicos. Atualmente, a região de Rio Preto está na fase laranja, uma antes da amarela. 


Segundo o documento, entre os critérios técnicos, está o monitoramento de idosos, gestantes e pessoas com doenças crônicas. Dado não deu detalhes do programa, mas afirmou ser "pioneiro" em todo país. 

O prefeito também afirma que o decreto que colocou Votuporanga na fase amarela, na última sexta-feira (21), proíbe "acesso de forma generalizada por pessoas que não sejam funcionários de saúde", "reuniões que causem aglomerações" e "obrigação do uso de máscaras". 

Edinho 
O prefeito João Dado usou também ato do prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), para tentar permanecer na fase amarela do Plano SP. Dado anexou na ação o pedido de Edinho enviado a João Doria (PSDB), governador de São Paulo, para que toda região avance para a fase amarela na próxima sexta-feira (28). O documento será analisado pelo governo estadual. Mas, oficialmente, avanços no Plano SP ocorrem apenas a cada duas semanas. Seguindo a regra atual, a região pode avençar apenas no dia 4 de setembro. 

Histórico
Após a região permanecer na fase laranja do Plano SP na última avaliação, no dia 21 de agosto, o prefeito João Dado, por conta própria, baixou decreto para colocar Votuporanga na fase amarela. O defensor público de Rio Preto, Júlio Tanone, entrou com ação por improbidade administrativa para obrigar Votuporanga a voltar para fase laranja. 

Parecer do Ministério Público protocolado nesta terça-feira (25), foi contrário ao pedido da Defensoria Pública. No parecer, o promotor  José Vieira da Costa Neto citou que os serviços prestados em Votuporanga só não são melhores porque cidades do entorno não fazem sua parte. "Municípios, aliás, que nem deveriam existir, pois não se sustentam. Seus administradores, o Macarronada, o João da Skol, o Calinécio, o Ico de Paris, e tantos outros, nunca criaram um leito sequer para a extração de uma unha encravada. Compram, ou melhor, recebem em doações, ambulâncias, para se verem livres dos seus munícipes doentes e entregá-los, sempre sem custo algum, para tratamentos a searas outras", disse no parecer. 
 







Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!