Foto por: Divulgação
Apresentação dos patrocinadores do Mirassol, agora com Unimed na camisa

Após anos fora dos gramados, Unimed volta a investir no futebol e vai vestir camisa do Mirassol

Por: Maria Elena Covre, Fabrício Carareto e Lucas Israel
03/12/2019 às 20:08
Bastidores

Poty segue como patrocinadora master

Aposta no Paulistão 1
Depois de longo período fora dos gramados, a Unimed de Rio Preto voltou a vestir a camisa de um time de futebol, se tornando a mais nova patrocinadora do Mirassol Futebol Clube. Na região, apenas o Leão e o Grêmio Novorizontino disputam a Série A-1 do Campeonato Paulista. 

Aposta no Paulistão 2
A última vez que a Unimed colocou sua marca em uma camisa de time de futebol foi quando o Rio Preto tinha alguma relevância nas competições de elite, há mais de uma década. Em relação ao Mirassol, o grupo de medicina privada não revela o valor que será investido. O contrato de patrocínio, oficializado nesta terça-feira (3), tem validade de um ano e inclui, além da equipe profissional, todas as categorias de base (Sub-11, Sub-13, Sub-15 e Sub-17). 

Saúde e social
"Queremos que as pessoas e outras empresas percebam que o esporte, além de proporcionar benefícios à saúde, tem ainda papel social extremamente importante. Por isso, estamos nos tornando parceiros desse time que é destaque hoje em São Paulo e em todo o País”, afirmou o presidente da Unimed Rio Preto, Helencar Ignácio, durante o evento de apresentação dos patrocinadores do time para a próxima temporada. 

Quem sai, quem entra 
E se a Unimed entrou, a Tereos Guarani saiu da relação de investidores do Mirassol, assim como a Eirilar, e a Lumavi. Mas a camisa do Leão segue disputada. A Poty, do empresário José Luiz Franzotti, continua como patrocinadora master, cercada ainda pelas logos da Kanxa, Cozimax, Kodillar, Rosalito, Mtech, Sugoi Construtora, Rede Sol e Santa Maria. A Physicus entra nos banners.   

Pessoa jurídica 
Pelo menos dez grandes empresas com operações em Rio Preto e região, entre às quais Rodobens, Havan, Banco Toyota e a seguradora Zurich, por exemplo,  decidiram destinar parte do Imposto de Renda a ser pago à União a projetos voltados para idosos e crianças do Hospital de Base. A instituição, que começou arrecadando R$ 500 mil, hoje já recebe cerca de R$ 5 milhões por meio deste tipo de ação junto à iniciativa privada. 

Pessoa física 
Nesta terça-feira (3), o HB deu outro passo para ampliar o volume de destinação a seus projetos, com o lançamento da plataforma digital "Abrace uma Causa”, que tem por objetivo atrair parte do IR de pessoas físicas. 

R$ 16 milhões
A instituição já fez as contas e descobriu um potencial de R$ 16 milhões que podem ser arrecadados por entidades por meio de doações do IR. "Mas grande parte desse dinheiro está solta por aí, vai para Brasília, mas poderia vir diretamente para trabalhos da região”, afirma Amália Tieco, diretora executiva do Hospital de Base. 

Migrou para Bady
Para entrar no programa de receptora direta de parte do IR de pessoas físicas e jurídicas, a entidade precisa, obrigatoriamente, estar ligada a um fundo municipal. Depois de ter seu projeto recusado pelo Fundo Municipal de Rio Preto, o HB inscreveu o trabalho no Fundo Municipal de Bady Bassitt. A parceria tem sido um sucesso.  

Feliz da vida 
Nem precisa dizer que o prefeito de Bady, Luiz Antônio Tobardini, anda rindo de orelha a orelha. Isso porque a cidade também "fatura” com as destinações solidárias. Com os recursos, o HB montou o serviço de transplante de medula para crianças de zero a 13 anos de idade. 

Vai ter de pagar 1
Voltou para Rio Preto, para fase de execução de sentença, o processo no qual o vereador Paulo Pauléra (PP) foi condenado a pagar R$ 25 mil ao colega de parlamento Renato Pupo (PSD). Em maio de 2017, Pauléra utilizou a tribuna da Câmara e fez graves acusações contra o parlamentar, acusando-o de manter relação sexual com uma mulher portadora do vírus HIV. A "denúncia”, se é que se pode chamá-la assim, foi feita com base em um boletim de ocorrência.

Vai ter de pagar 2
O fato é que o tal boletim foi registrado por uma mulher com sérios problemas mentais, que dizia ainda ter tido relacionamentos amorosos com atores globais. O caso foi arquivado pela polícia, por total falta de provas, e mesmo assim foi exposto por Pauléra na tribuna para atacar o rival político.

Vai ter de pagar 3
Pauléra alegou a famosa "inviolabilidade dos vereadores por suas opiniões, palavras e votos no exercício do mandato” para tentar escapar da condenação por danos morais. Não colou. Em primeira instância, o juiz da 2ª Vara Cível, Paulo Sérgio Romero Vicente Rodrigues, condenou o vereador do PP a pagar R$ 15 mil ao seu desafeto. O Tribunal de Justiça achou pouco e elevou para R$ 25 mil. Agora que o caso voltou para Rio Preto, Pauléra vai ter de mexer no bolso. Pupo disse que vai doar o dinheiro para o hospital psiquiátrico Bezerra de Menezes.

Sai um  
O empresário do setor de restaurantes corporativos Rafael Bernardo, 41 anos, foi informado pelo Comitê do Partido Novo, nesta terça-feira (3), que terminou para ele o processo seletivo que a legenda está fazendo para escolher o candidato a prefeito de Rio Preto em 2020. 

Seguem dois
Outros dois empresários, que, diferentemente de Rafael, não quiseram tornar seus nomes públicos, seguem na disputa interna. Um deles atua no setor de tecnologia da informação. O outro é da área de investimentos financeiros. Ambos são homens, nunca disputaram pleitos eleitorais e estão na faixa dos 40 anos de idade. O nome escolhido pelo Comitê do Novo deverá se tornar conhecido até o dia 15 de dezembro. 

Nível executivo 
O processo seletivo de candidatos do Novo segue dinâmica idêntica à de recrutamento de executivos para grandes empresas. O último estágio consiste em elaborar um diagnóstico da cidade e apresentar soluções para os problemas apontados. O candidato à vaga precisa ainda comprovar que consegue viabilizar sua candidatura financeiramente, dizendo onde vai buscar os recursos, já que o partido proíbe uso de dinheiro público. 

Valeu a pena 
"Apesar de desafiador, meu objetivo em conquistar um cargo público atrelou-se ao imenso desejo de fazer da nossa Rio Preto um espaço colaborativo e de participação social, com uma gestão eficiente e principalmente transparente para o executivo da nossa cidade”, afirmou Rafael Bernardo. O advogado Marco Feitosa, coordenador do Novo na região, ainda tem esperança de convencer o empresário a participar do processo seletivo para a chapa de vereadores do partido. Por enquanto, ele resiste à ideia. 

Sem rua 1
A manifestação em favor da prisão em 2ª instância, convocada nacionalmente para o dia 8 de dezembro, foi cancelada em Rio Preto. Lideranças dos movimentos organizadores, como o MCB e o VPR, dizem que a desistência se deve ao fato de já existir uma ação agendada anteriormente - nos mesmos dia, local e horário - pelo Sincomerciários, em apoio às mulheres e em repúdio à violência doméstica. 

Sem rua 2
Segundo os apoiadores da 2ª instância, não faria sentido um ato em outra data, em dissonância com a movimentação nacional. Alguns manifestantes estão tão determinados a engrossar a reivindicação que discutem a possibilidade de se juntarem aos protestos de São Paulo. Vale dizer que as duas últimas manifestações em Rio Preto foram desidratadas em termos de público. 






Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!