Foto por: Divulgação
Marcos Apóstolo: a caminho do PSDB

Marcos Apóstolo, homem de confiança de Eleuses Paiva no PSD, vai para o PSDB

Por: Maria Elena Covre, Fabrício Carareto e Lucas Israel
19/11/2019 às 18:22
Bastidores

Tudo indica que ele assina ficha oficialmente no próximo dia 14 de dezembro, abençoado por Marco Vinholi

Vai na frente... 
Marcos Apóstolo, ex-secretário de Trânsito do governo Edinho Araújo (MDB) e nome influente dentro do PSD do vice-prefeito, Eleuses Paiva, está de partida para o PSDB. A previsão é que o ingresso dele nas hostes do tucanato local será oficializado no próximo dia 14 de dezembro, durante encontro do partido em Rio Preto, no qual estará presente Marco Vinholi, presidente estadual do PSDB e Secretario de Desenvolvimento Regional do Estado, além de homem de confiança de João Doria. 

… que eu vou depois 
Apóstolo não deverá ser o único nome de relevo que o partido irá apresentar no dia 14. Mas a ida dele é lida como um atestado de garantia de que Renato Pupo (PSD) de fato não roerá a corda e se apresentará em março do ano que vem para conduzir a tropa tucana como candidato a prefeito. A ida do vereador só pode ocorrer lá na frente porque é quando abre a janela para transferência partidária sem que ele corra o risco de perder o posto. 

Sai do muro
A filiação de Apóstolo deverá amenizar desconfianças de setores do PSDB que consideram um tanto vacilante a postura de Pupo em relação ao partido e a sua eventual candidatura a prefeito. Há, entre os tucanos, quem diga (olha a ironia), que o delegado precisa sair do muro e assumir de vez o que pretende de fato. 

Passou pano 
Com a missão de conduzir as conversas com Pupo, o presidente do diretório municipal do PSDB, Manoel Gonçalves, se mostra mais compreensivo e ameniza as críticas do entorno. Segundo ele, que teve mais uma rodada negociações com o vereadordelegado na sexta-feira (15), a oficialização só depende do próprio Pupo, mas está muito perto de ocorrer. "Ele tem algumas reivindicações legítimas como delegado, em relação à categoria, mas nada que impeça o projeto no partido”, afirmou.  

Bipolar nível hard 1
A Executiva Estadual do PSL, ainda sob o comando de Eduardo Bolsonaro até a tarde desta terça-feira (19), vem revelando uma bipolaridade nível hard no tocante ao diretório municipal de Rio Preto. Exatamente sete dias depois de devolver o comando da legenda na cidade ao médico Paulo Bassan, uma nova decisão o desabilitou do posto outra vez. A nominata de Bassan foi invalidada no sistema da Justiça Eleitoral na noite desta segunda (18), surpreendendo a base, mesmo os bolsonaristas que já estão arrumando as malas para desembarcar no Aliança, ainda em fase de gestação. 

Bipolaridade nível hard 2
Para se ter ideia do caos gerado pela disputa de poder dentro do PSL, o médico Paulo Bassan foi surpreendido no dia 18 de outubro ao tomar conhecimento da primeira derrubada de sua nominata. E ficou sem nenhuma justificativa oficial até que, no dia 12 de novembro, seu nome voltou a constar no sistema como presidente do diretório municipal, embora ele já tivesse dito publicamente que não ficaria na legenda e que seguiria o presidente Jair Bolsonaro para onde ele fosse. Pois na noite desta terça (19), nova reviravolta sem aviso-prévio.

O último apaga a luz
 Depois do susto da primeira decisão, o médico vem se mostrando indiferente ao vaivém da sigla em relação a ele e valou mais que o normal desta vez: "Não existe mais bipolaridade. O Aliança Pelo Brasil já é uma realidade e ficará apto em tempo recorde. Haverá um grande esvaziamento do PSL a partir de janeiro do ano que vem”, afirmou o médico à coluna. 

Puxou a fila 
Boa parte da ala bolsonarista em Rio Preto, aliás, já começou a enviar para o PSL pedido oficial de desfiliação. A ideia, segundo Janaina Targas Albuquerque, que abriu a fila, é estar livre o mais rápido possível para começar a angariar as assinaturas que o Aliança precisa para se viabilizar enquanto partido. 

Mamãe avisou 1
Nem mesmo o DEM do vice-governador Rodrigo Garcia, sigla que está longe de impor organicidade e homogeneidade a seus integrantes, conseguiu lidar com a linha "faço o que me dá na telha” adotada pelo deputado estadual e youtuber Arthur do Val, o Mamãe Falei.  Eleito para a Assembleia Legislativa de São Paulo  no ano passado com 478 mil votos, ele foi expulso da sigla nesta terça-feira (19). Em Rio Peto, Mamãe Falei foi o segundo nome de fora com maior votação, levando 5.169 eleitores a digitar seu número nas urnas. Ficou atrás apenas de Janaina Paschoal, que recebeu 29.713 votos na terra da capivara. 

Mamãe avisou 2
Há quem acredita que o DEM fez um mau negócio diante da capacidade de mobilização de Arthur, que forjou seu nome na política dentro do MBL e soma 2,6 milhões de seguidores no Youtube. Mas sua permanência na legenda parece ter se tornado insustentável diante do anúncio de que seria candidato à Prefeitura de São Paulo, mesmo com o partido alinhado a Bruno Covas. Mamãe falei também tem se mostrado indomável na Assembleia, se posicionando contra projetos do governo João Doria (PSDB), de quem o DEM é sócio. 

Efeito ’Mamãe’ em Rio Preto  
A expulsão de Arthur reflete impasse comum a quase todos os ingressos na política pela porta dos movimentos que ganharam destaque nos protestos de rua que levaram ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Em Rio Preto, Warlen Miller, líder do MBL e assessor do deputado federal Kim Kataguiri (DEM), já sente isso na pele. Decido a colocar os projetos do MBL em primeiro lugar, ele tem encontrado dificuldade para se acomodar em uma legenda que possa viabilizar sua candidatura a vereador no ano que vem. O Novo, uma das legenda cotadas, já impôs regras incompatíveis com as dos movimento. 

Proibido parar e estacionar 1
A partir do dia 2 de dezembro, quando os corredores de ônibus serão oficialmente inaugurados em Rio Preto, ficará proibido parar e estacionar veículos ao longo da avenida Bady Bassitt, como já ocorreu na avenida Alberto Andaló. 

Proibido parar e estacionar 2
A medida promete complicar um pouco a vida dos motoristas, uma vez que coincide com o período em que a cidade ganha fluxo extra de veículos de fora, que trazem consumidores para as compras de final de ano e também gente de férias. 

Vai ter grita
Mesmo a proibição de estacionamento na Bady sendo inerente ao projeto dos corredores de ônibus, a grita de comerciantes instalados na avenida parece inevitável. Mas contornável, na opinião do secretário de Trânsito de Rio Preto, Amaury Hernandes. "Ainda não fizemos um comunicado oficial a eles (comerciantes da região). Vamos fazer em breve, mas isso já está definido faz tempo”, afirmou o titular da pasta. 

Ninguém quer andar 
Segundo Hernandes, um dos grandes problemas do trânsito local, especialmente na chamada ilha central, que vai da Bady à Andaló e da rua Pedro Amaral à rodovia Washington Luís, é que o motorista/consumidor insiste em estacionar o veículo na porta do estabelecimento que vai entrar. "Ele não aceita parar 200 metros longe e caminhar. Fica circulando na região central atrás de uma vaga em frente ao local”, exemplifica Amaury. 

Falar é fácil
Se a principal justificativa dos vereadores Fábio Marcondes (PL), Jean Dornelas (PSL) e José Carlos Marinho (PSB) para apresentarem projetos de redução de cadeiras e salários na Câmara é a suposta economia, o argumento seria mais convincente se viesse atrelado a um gesto poderoso: o de abrir mão dos respectivos vencimentos. Mas não parece ser esse o caso.

Isso explica…
Marcondes já anunciou que não vai tentar a reeleição e Marinho, que por fim acabou retirando o projeto que reduz salários na sessão desta terça-feira (10), tentará eleger o filho. Apenas Dornelas tem o futuro indefinido porque, primeiro, precisa se firmar no PSL ou procurar um outro partido.  Marcondes e Dornelas se apresentaram como potenciais candidatos a vice na chapa do prefeito Edinho Araújo (MDB), o que em tese explicaria as propostas de ocasião.

Reforma tributária 
O Lide Rio Preto vai voltar a debater a Reforma Tributária. Empresários participarão de evento com o economista Bernard Appy e o presidente do Instituto Brasil 200, Gabriel Kanner, na próxima sexta-feira (22). Appy é mentor da proposta de Reforma Tributária em tramitação no Congresso Nacional. Ele vai apresentar o que considera serem impactos positivos da medida na saúde financeira do Brasil, bem como os desafios para corrigir distorções negativas que resultam do sistema tributário atual. 

Imposto único 
Já Kanner é responsável pela proposta dos empresários e defende que o completo sistema tributário nacional seja substituído por um imposto único sobre movimentação financeira, o que possibilitaria, na opinião dele, colocar o Brasil no ruma da modernidade. O primeiro encontro sobre o tema foi em outubro. 






Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!