Antonio Baldin

Promotor de Justiça aposentado e assessor especial da Secretaria de Saúde de Rio Preto


Legalização da maconha

Por: Antonio Baldin
18/08/2019 às 10:17
Antonio Baldin

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, tem criticado a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que vem defendendo a legalização da maconha, dizendo ser frontalmente contra.

As drogas estão destruindo a juventude e penalizando as famílias, que acabam ficando desorientadas e perdidas, sem noção de como agir quando se deparam com a dependência química de um familiar. Nestas ocasiões, ouvimos lamentações do tipo o que fazer, como isso foi acontecer logo na minha família?
É claro que ninguém imagina, e muito menos deseja que familiares se envolvam com entorpecentes! Mas, infelizmente, pode acontecer e os cuidados preventivos são essenciais para o impedimento.

É necessário sempre atentar para as amizades e os lugares frequentados, porque influenciam bastante no caminho dos entorpecentes, embora não se possa ignorar que o problema, muitas vezes, começa no recesso do lar, com o uso de drogas lícitas.

Se constatar o envolvimento de um familiar com as drogas, será imprescindível a busca de auxílio médico e, paralelamente, cooperar para a prisão do traficante, com a realização de um telefonema para a polícia, que pode até ser anônimo. É uma ação eficaz, sem dúvida, que pode ser praticada por todos nós.

Acaba de sair um estudo que mostra o impacto a longo prazo do uso de maconha em 23 mil adolescentes, publicado numa das melhores revistas de psiquiatria do mundo. Segundo a conclusão dos estudos realizados, adolescentes usuários de maconha, em comparação com não usuários, tiveram risco de 37% maior de desenvolver depressão na idade adulta e perigo de 50% maior de ideias suicidas. A conclusão dos autores da pesquisa, com os 23 mil adolescentes que utilizaram maconha, é no sentido da alta prevalência do desenvolvimento de depressão quando adultos, com grande comportamento suicida. Este é um importante problema para a nossa saúde pública atual, que merece ser considerado para a não liberação da maconha. Os pesquisadores enfatizaram, também, que as políticas de prevenção devem educar os adolescentes a desenvolver habilidades para resistirem à pressão do grupo para usarem drogas.

Quer queiram ou não, o uso de drogas produz a doença cerebral chamada "dependência", que acaba destruindo as melhores qualidades de vida, escravizando as pessoas e contribuindo para a desestabilização da sua relação com a família e com a sociedade.

Quem caminha com as drogas, tem um fim na prisão ou com a morte prematura. Responda-me, com sinceridade, se vale a pena a legalização das drogas?






Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!